>


Queridos amigos, colegas e conhecidos,

Muitos de vocês estão acompanhando, alguns de maneira direta, outros por notícias fornecidas pelos amigos, ou aqueles passam a saber neste momento, a luta de nossa amiga, Thaila Fernandes.
Há dois anos ela descobriu que está com câncer e desde lá está travando uma árdua batalha contra a doença. Ao longo desse período, várias internações, diversas sessões de rádio e quimioterapia, náuseas, vômitos, além de outros transtornos físicos e psicológicos , consequências dos fortes tratamentos.
Depois de um transplante não tão bem sucedido, realizado há mais de quatro meses em São Paulo, foram diagnosticados outros nódulos da doença nos pulmões, ou seja, o câncer está bem resistente aos medicamentos e tratamentos realizados até o momento. Os médicos estão partindo para um novo transplante de medula, para isso é necessário encontrar um doador compatível.
A chance de compatibilidade, de acordo com informações do HEMOBA, é de uma a cada cem mil.
As estatísticas não são animadoras, mas não podemos nos abater. Diante desse cenário e da esperança que nos motiva, realizamos uma campanha neste sábado, 16 de outubro, para a doação de sangue e cadastro para a doação de medula em seu nome.
Abaixo replico o e-mail enviado pelo Hemoba que explica em detalhes o processo de cadastro e de doação de médula. Também como os anexos dessa mensagem. Como vocês verão, tudo é muito simples. Por favor, convidem os amigos, conhecidos, familiares a se juntarem a nós.

Sabemos que alguns, em virtude do trabalho ou de outras atividades não poderão comparecer no dia 16, no entanto as doações e cadastro em nome de Thaila Santana Fernandes poderão ser feitas nos seguintes horários:


Local:
HEMOBA- Próx. HGE 
Seg à sex: 07:30 h às 18:30h
Sábado: 07:30h as 12:30h

abraços,

Simone Gesteira (71) 8760-8902// 9992-5756
Viviane Cunha (71) 8818-9073
Ciranda Campos (71)9104-8983
Juliana Sales (71) 8836-6333


Prezada,


Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde, portando documento oficial com foto, CPF (e, se tiver, CNS – carteira nacional do SUS), poderá se inscrever para doar Medula Óssea. Em locais determinados (anexo), será preenchida uma ficha com informações pessoais, e será retirada uma pequena quantidade de sangue da veia do candidato (em torno de 10ml): este estará inscrito no Registro Nacional de Doação de Medula Óssea (REDOME), que tem a função de manter uma listagem nacional atualizada de possíveis doadores. O sangue será tipado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório efetuado em laboratório especializado, conveniado com o MS, para identificar as características genéticas que podem influenciar no transplante. O tipo de HLA será incluído no cadastro. Quando aparecer um paciente, a compatibilidade será verificada. Se houver compatibilidade com o paciente, outros exames de sangue serão necessários para a confirmação da mesma. Confirmada, o candidato será consultado para decidir quanto à doação, e seu atual estado de saúde será então avaliado. Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as medulas do doador e do receptor: a chance de encontrar uma medula compatível pode chegar a UMA EM CEM MIL! A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Uma porção da medula óssea é retirada do interior de ossos da bacia, através de punções, se recompondo em apenas 15 dias. Nos primeiros três dias, após a doação, pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana. Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte: o Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e algumas outras doenças do sangue. É um gesto de solidariedade e de amor ao próximo. Importante: um doador de medula óssea deve manter seu cadastro atualizado sempre que possível. Caso haja alguma mudança, a pessoa deve entrar em contato com o REDOME.

O texto acima foi baseado no site www.inca.gov.br (Instituto Nacional de
Câncer-INCA).

Ouvidoria Hemoba

SUS/Bahia www.inca.gov.br (Instituto Nacional de Câncer-INCA).


Texto retirado de: http://19naoeh20.blogspot.com/