Oi pessoas…

Aproveitando o rumo artístico q o blog tomou esse mês, hj venho aki denovo postar mais uma música…
Dessa vez um pagode… Sim, um pagode!

Vou postar essa música aki, pq por incrível q pareça, ela faz o contrário da maioria das “músicas” de pagode q ouvimos (ou somos obrigados a suportar) nos dias de hj… Salvo ainda as bandas Harmonia do Samba e Parangolé…

Pois bem… mas essa música me chamou muito a atenção por causa da letra… ela realmente tem uma mensagem a passar… tem um conteúdo bom e mais q apresentável… ela é aproveitável…

É uma letra q aborda uma séria questão social sobre os deslizamentos de terra, e como o povo luta contra isso, se mantendo firme e forte…

Ai segue um vídeo da música pra vcs acompanharem… 
Se não gostarem de pagode td bem, mas peço q por favor pelo menos leiam a letra, pra q vejam q realmente é diferente do q estamos acostumados a ver por aki atualmente…
Essa vale a pena mesmo… =)


Música: Forme e Forte
Artista: Psirico



http://www.youtube.com/v/PFfecZpWHDw&hl=pt_BR&fs=1?color1=0x006699&color2=0x54abd6




Letra: 

Na encosta da favela “tá” dificil de viver,
e além de ter o drama de não ter o que comer.
Com a força da natureza a gente não pode brigar
o que resta pra esse povo é somente ajoelhar,
e na volta do trabalho a gente pode assistir.
Em minutos fracionados a nossa casa sumir, tantos anos de batalha
junto com o barro descendo e ali quase morrer é continuar vivendo.

Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
Temporal que leva tudo, mas minha fé não vai levar.
Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
O meu Deus dai-me força pra outra casa levantar.

Eu “tô” firme, forte
nessa batalha.
Eu “tô” firme, forte
Não fujo da raia.

Eu “tô” firme, forte
nessa batalha.
Eu “tô” firme, forte
Não fujo da raia.

Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
Temporal que leva tudo, mas minha fé não vai levar.
Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
Temporal que leva tudo (Vumbora meu povo!)

Na encosta da favela “tá” dificil de viver,
e além de ter o drama de não ter o que comer.
Com a força da natureza a gente não pode brigar
e o que resta pra esse povo é somente ajoelhar,
e na volta do trabalho a gente pode assistir.
Em segundos fracionados a nossa casa sumir, tantos anos de batalha
junto com o barro descendo e ali quase morrer é continuar vivendo.

Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
Temporal que leva tudo, mas minha fé não vai levar.
Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
O meu Deus dai-me força pra outra casa levantar.

Eu “tô” firme, forte
nessa batalha.
Eu “tô” firme, forte
Não fujo da raia.

Eu “tô” firme, forte
nessa batalha.
Eu “tô” firme, forte
Não fujo da raia.

E na volta do trabalho a gente pode assistir.
Em minutos fracionados a nossa casa cair, tantos anos de batalha
ver seu barraco descendo imagino…

Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
Temporal que leva tudo, mas minha fé não vai levar.
Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
O meu Deus dai-me força pra outra casa levantar.

Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
Temporal que leva tudo, mas minha fé não vai levar.
Êee chuá chuá, ê chuá chuá,
O meu Deus dai-me força pra outra casa levantar.

Eu “tô” firme, forte
nessa batalha.
Eu “tô” firme, forte
Não fujo da raia.

Êeeehhh chuáaa…ooohhh!






Abraço!